Perguntas sobre o Islã

Como deturpar informações e dados, um caso prático com um post de hoje

2020.11.03 20:35 Constant-Overthinker Como deturpar informações e dados, um caso prático com um post de hoje

O Cyberthinker nos postou um vídeo horroroso e deplorável, dito como o de uma escola paquistanesa ensinando alunos a decapitar infiéis.
O vídeo provoca respostas. Sunset_28, por exemplo, conclui: "Todo islâmico é extremista. Não existe muçulmano moderado."

Vejo o vídeo e me pergunto: Isso é representativo de muçulmanos em geral? Ou é mais uma tentativa de generalizar o outro e inventar um inimigo?
Pedi fontes e fui atendido. Aí sim, penso eu. Oportunidade de aprender alguma coisa. A maioria das fontes é de artigos de uns 10-14 anos atrás, mas Cyberthinker fez referência a um relatório de pesquisa mais extenso do Pew Research sobre muçulmanos nos EUA. Vamos olhar o relatório, já que os artigos pontuais tendem a ser baseados nessas pesquisas.
Para minha surpresa, o relatório argumenta o contrário do que diz Cyberthinker e outros. A conclusão é a contrária: a maioria dos muçulmanos em países ocidentais é moderada, contra o extremismo, e estão vivendo vidas como a maioria de nós.
Convido a quem quiser que entre no artigo e leia por si mesmo. O link fornecido pelo Cyberthinker é este.
Vamos ler o relatório, logo nas primeiras páginas:
A comprehensive nationwide survey of Muslim Americans finds them to be largely assimilated, happy with their lives, and moderate with respect to many of the issues that have divided Muslims and Westerners around the world.
The poll reveals that Muslims in the United States reject Islamic extremism by larger margins than do Muslim minorities in Western European countries, when compared with results from a 2006 Pew Global Attitudes Project survey.
The survey shows that although many Muslims are relative newcomers to the U.S., they are highly assimilated into American society. With the exception of very recent immigrants, most report that a large proportion of their closest friends are non-Muslims. On balance, they believe that Muslims coming to the U.S. should try and adopt American customs, rather than trying to remain distinct from the larger society.
Os trechos resumem bem a conclusão do artigo.

Sobre os jovens muçulmanos franceses.
Em outro ponto da argumentação do Cyberpunk, está lá: "Alguém tenta postar na france? Eu fui expulso de lá porque mostrei que 42% dos jovens muçulmanos na França apoiam o terrorismo. Pew Research p. 54".
É estranho ficar catando dado sobre a França em um relatório sobre os EUA, mas vá lá, vamos conferir. Tive que procurar o PDF por "France" para encontrar o dado porque não é óbvio na página 54. Há 16 referências a "France", entre elas várias respostas de muçulmanos franceses a perguntas da pesquisa. Olhando o relatório desse jeito, encontramos o seguinte:
Esta última pergunta é dividida entre jovens [18-29] e [30 ou mais]. Entre os 18-29 anos as respostas foram: [57% Nunca]; [23% Raramente]; [19% Às vezes/Frequentemente] (pg. 54). Cyberthinker cata seu dado desta resposta, só que, nela, a maioria dos jovens responde que atacar alvos civis nunca é justificado.
Vale a pena reparar que a resposta de dos jovens franceses é a menor maioria nessa resposta. Os muçulmanos dos outros países também se posicionam majoritariamente contra homens-bomba, por margens mais largas (na Alemanha, 83%, nos EUA, 78%). (pg. 54)
Com o que dá para se concluir que a maioria dos muçulmanos franceses é gente igualmente preocupada com o extremismo, contra homens-bomba, querendo viver uma vida moderna. Como os muçulmanos de outros países da pesquisa.

Conclusão
Um dado é pinçado como suporte a uma narrativa oposta a da conclusão do relatório de onde ele vem. Essa é a qualidade média do debate de gente que quer muito que a conversa seja um "nós" contra "eles". É uma aposta na ignorância, em que as pessoas não são capazes de olhar as fontes por si próprios.
Se informar, ter visão crítica, dá um trabalho da porra. Argumentações de má fé com dados pinçados aqui e ali atrapalham ainda mais. Não caiam nessa.
Ao ssantorini, moderador: Espero que, caso este post sofra de "brigading", que ele seja pinado no sub, como um outro post dia desses.
submitted by Constant-Overthinker to brasilivre [link] [comments]


2020.10.31 17:37 Cyberthinker [Enquete] O Islã é uma religião da paz?

Com os ataques terroristas na França e uma brasileira vítima, acho que não podemos fugir da reflexão.
Essa pergunta foi feita na televisão britânica: “O Islã é uma religião da paz?” A mesma pergunta foi feita para o público antes e depois do debate. Inicialmente, a maioria do público respondeu que SIM. Após ouvir os dois lados, a imensa maioria mudou completamente de ideia. Por isso acho que mais EDUCAÇÃO e menos religião é a chave pra tornar o mundo mais pacífico.
Aos que entendem inglês, convido a assistirem ao debate:
https://www.youtube.com/watch?v=rh34Xsq7D_A
Pra quem não entende inglês, recomendo ver os vídeos do Caio Fábio sobre o Islã. Apesar de ele ser religioso, acredito que a maioria das suas opiniões são bastante equilibradas, ele é bastante progressista.
https://www.youtube.com/watch?v=X7XI5OmnUJU
42% dos jovens muçulmanos na França apoiam o terrorismo - Pew Research p. 54 (Pew Reseach é uma das fontes mais confiáveis sobre estatísticas de muçulmanos).
https://www.pewresearch.org/wp-content/uploads/2007/05/muslim-americans.pdf
É um assunto delicado, mas tão necessário. Pra muitos, o Islã pode parecer algo distante. Quando eu morava no Brasil, na verdade eu nem sabia muita coisa a respeito. Só quando vim pra Europa e vi de perto o drama da imigração em massa, as ruas cheias de imigrantes, os choques culturais com o Islã... é que passei a procurar saber mais sobre o assunto. Já visitei Nice e moro perto... e por uma brasileira ser vítima, sinto esse atentado tão próximo. É lastimável.
Espero que possamos dialogar com equilíbrio e acima de tudo que isto possa servir de reflexão.

Um resumo dos dois lados apresentados no debate:
A favor: o fundamento de qualquer religião depende da interpretação, muitas coisas podem ser distorcidas. O fundamento do Islã pode ser interpretado como uma mensagem de paz (???). Existem muçulmanos de todos os tipos, com variadas crenças, a maioria é pacífica [mesmo as estatísticas dizendo que a maioria em certos países pode defender a pena de morte pra quem desrespeitar a religião e um número assustador defende o terrorismo]. Muitos culpam o Ocidente com o colonialismo por ter atrasado e impedido o Islã de evoluir.
Contra: O fundador do Islã, Maomé, foi um comandante de guerra, se casou com uma menina de 6 anos, instrua seus soldados a estuprarem as mulheres dos inimigos, espalhou o Islã com guerras. Maomé foi comandante, juiz e governante, assim como seus sucessores. Desde o início, o Islã sempre foi um sistema político, um código de leis e uma filosofia de conquista pela guerra (Jihad), nunca passou por um Iluminismo pra separar Estado de Religião e assim permanece nos dias de hoje. Em praticamente todos os lugares onde muçulmanos são maioria, a lei muçulmana é aplicada, o que inclui criminalização e até morte a gays, ateus, pessoas que abandonarem o Islã, e menos direitos para mulheres.
O que vocês acham: o Islã é uma religião da paz?
View Poll
submitted by Cyberthinker to brasilivre [link] [comments]